A busca inscansável pela melhor ideia

Sempre que penso no Castilho, lembro do Janio Semdanio, um trabalho que fizemos juntos para a Danone. Janio era um personagem que vivia sempre com fome, comia tudo que via pela frente. E não lembro do Castilho somente porque ele ajudou a construir muito bem a história desse personagem, mas também porque acho que eles têm algo em comum: uma fome incontrolável. Mas, no caso do Castilho a fome é do novo, de uma história nunca antes contada, de uma ideia que vende, mas também que alimente a alma, fome de empreender, de fazer. E como Janio, a fome do Castilho parece não acabar nunca.